domingo, 8 de novembro de 2009

Onde começou tudo isso?

Hoje, minha memória saltou para trás. Chegou em um tempo distante do agora.

Menina, 8 anos, filha, irmã.

- Mãe, mãe! O Igor me bateu!
- Que foi que você fez??
- Naaada!
- Nada, nada..! Você não mexa com seus irmãos!
- Mas, mãe! Ele me bateu! Não fiz nada!
- Se isso acontecer de novo, você vai apanhar, ouviu?? Vá pro seu quarto, e saia de perto deles!

Saí para o meu quarto naquele dia com tanta bagunça na minha cabeça-coração, não conseguia entender porque a minha mãe não me defendia e ao contrário, me ameaçava e declarava estar do lado de meus irmãos, tão cruéis. E no caso de estar, de alguma forma, errada, por que diabos estariam eles certos?
Como era horrível me sentir desprotegida. E obrigada a resignar-me.
É claro que tudo isso passou, e por muitas vezes relembrei esse fato nos almoços dominicais rindo entre uma garfada e outra dessa cena patética que minha mãe havia representado.
O fato é que hoje essa lembrança me fez enxergar além de leves risadas, me aproximei do passado a partir do que sou nesse instante e pude, assim, enfim, entender minha mãe.
E entender meus irmãos, meu pai, meu vizinho, meu ex, os homens todos, todos eles.
Sobretudo, pude entender a mim mesma.

Mulher, 22 anos, filha de pai e mãe, caçula de dois irmãos.
Não tenho filhos, mas é como se tivesse. Como se para ser mãe bastasse ser mulher. Não importa qual relação eu tenha com os homens, desde as familiares até as trabalhísticas, minha mãe sempre me dirá de longe:
- Vá para o seu quarto e não converse com elEs.

Só sei que ir para o meu quarto tem sido difícil.

Um comentário:

  1. haaaii aiii
    tao é isso! sua mae sabe tudo e te contou desde de antes;)

    ResponderExcluir